10 dicas para quem vai fazer compras no Paraguai

10 dicas para quem vai fazer compras no Paraguai

COMPARTILHAR
Compras no Paraguai, Guichê Virtual

Quem nunca pensou em viajar ao Paraguai para fazer umas comprinhas? Nosso vizinho é logo ali, não exige passaporte nem visto para entrar, oferece ótimos preços e ainda trata muito bem os brasileiros.

Ir de ônibus é uma boa pedida. A viagem de São Paulo para Ciudad del Este (centro de compras no Paraguai), por exemplo, dura cerca de 16 horas e custa barato – por volta de 230 reais o trecho. Outra vantagem é que de ônibus, despachar bagagem e pegá-la de volta é muito rápido e prático!

Mas para não levar gato por lebre, confira 10 dicas para você que pretende fazer compras no Paraguai.

Os produtos são de qualidade

Apesar da má fama ainda persistir, muitos dos produtos no Paraguai são idênticos aos vendidos no Brasil, em especial os eletrônicos, importados dos mesmos países (Coreia do Sul, Estados Unidos etc). As lojas paraguaias conseguem praticar preços competitivos porque os impostos são bem mais baixos do que no Brasil. Além disso, elas praticam margens de lucro menores, tentando ganhar no movimento. Por isso, de modo geral os produtos são sim confiáveis e deixam muita gente satisfeita.

O limite de isenção é de 300 dólares

Procure guardar com cuidado as notas ou cupons fiscais de tudo o que comprar no Paraguai. O governo brasileiro garante na alfândega isenção de impostos sobre até 300 dólares em compras. Esse limite é estritamente individual e não pode ser somado ao de pessoas que viajam juntas. Sobre qualquer valor excedente incide uma cobrança de 50% em impostos de importação.

Explore rotas alternativas

Se você estiver mais perto de Foz do Iguaçu (PR) do que de São Paulo, por exemplo, considere uma rota alternativa. Tome o ônibus até a rodoviária de Foz do Iguaçu e, uma vez lá, procure uma das lotações que seguem para Ciudad del Este – a passagem pode custar 4 reais.

Pesquisas as lojas e faça perguntas

As melhores lojas em Ciudad del Este são as que estão estabelecidas há bastante tempo e oferecem assistência técnica e garantia para os produtos, com a apresentação da nota fiscal e certificado de garantia. A maior parte dessas boas lojas dá de 3 a 6 meses de garantia para troca ou assistência técnica. Pergunte sobre isso e exija sua nota fiscal.

Pergunte sobre assistência no Brasil

Algumas marcas – como Canon, JVC, TCL e Toshiba – oferecem certificado de garantia global, dependendo do produto. Você pode comprar no Paraguai e ser atendido no Brasil. Pergunte sobre esses certificados ao vendedor e sobre como conseguir as notas fiscais de compra e também de importação.

Atenção ao câmbio

O real tem boa aceitação em Ciudad del Este e talvez você nem precise trocar por guaranis. Se o fizer, vá a casas de câmbio do tipo que dão recibo para evitar receber dinheiro falso. As lojas no Paraguai aceitam também guaranis, dólares e cartão de crédito. Pagar em real é o mais prático, mas não o mais vantajoso, porque os produtos estarão em dólares.

A melhor dica é ir para o Paraguai com reais, trocá-los por dólares em uma casa de câmbio local e fazer suas compras com a moeda americana. Isso é vantajoso porque nas casas de câmbio paraguaias não incide imposto sobre troca de moeda.

Bata bastante perna

Aja como um comprador profissional. Não compre nada na primeira visita a cada loja; volte sempre depois e diga que achou o mesmo produto por um preço menor. Pechinche sempre.

Cuidado com o cartão de crédito

Alguns vendedores podem dar desconto em dólares, mas aumentar o preço em guaranis. O guarani é uma moeda difícil de calcular por ser muito barata: um real vale cerca de 1800 guaranis. E ainda por cima o câmbio sempre pode mudar. Podendo, faça compras à vista.

Prefira os shoppings às ruas

Barraquinhas são suspeitas e podem ter gente mal-intencionada. Nos shoppings, as lojas têm mais chance de andarem na linha.

E então, o que você pretende trazer do Paraguai na sua próxima viagem? Compartilhe suas ideias conosco!

Comprar passagem de ônibus