5 lugares folclóricos para viajar de ônibus

5 lugares folclóricos para viajar de ônibus

COMPARTILHAR
Mapa de algumas regiões folclóricas do Brasil

Hoje é o dia do folclore, 22 de agosto. Para celebrar a data, listamos os cinco lugares folclóricos do Brasil para viajar de ônibus.

Nosso país é uma terra cheia de lendas folclóricas, fomos até Manaus (AM), Pantanal (MS), Serra da Canastra (MG) , Recife (PE) e Rio Grande da Serra (RS) para conhecer as histórias mitológicas e as mais belas regiões brasileiras. Você pode viajar de ônibus ou barco até um desses lugares:

1 – Manaus (AM) – Aqui tem a lenda do boto

manaus, boto, guiche virtual
Diz a lenda que os botos seduzem as mulheres na calada da noite

O animal que dá origem ao personagem do folclore brasileiro é um golfinho fluvial, o boto vermelho ou boto cor-de-rosa, cujo nome científico é Inia geoffrensis, é também conhecido pelos nomes indígenas de piraia-guará e pira-iauara. Este animal encontra-se na bacia do rio Amazonas e do Orinoco e em seus principais afluentes no Brasil, na Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela.

Segundo a lenda, o boto se transforma em humano – em geral, num rapaz branco – e vai aos bailes das populações ribeirinhas, tira as moças solteiras para dançar e as seduz. De madrugada, depois de namorar bastante, volta a ser boto e desaparece nas águas do rio. Em geral, o rapaz usa um chapéu para esconder o orifício que os botos têm no alto da cabeça.

Passeio com o boto-cor-de-rosa

Um dos passeios mais interessantes para fazer em Manaus é ver, nadar e alimentar os botos. É um passeio muito bacana para curtir, sobretudo com crianças. Os passeios ocorrem às margens do Rio Amazonas e no local existem vários guias que realizam esta aventura.

Leia também:
20 Patrimônios Históricos do Brasil
Listamos as melhores formas de pagamento no Guichê Virtual
Para onde viajar: Buenos Aires – Argentina

2 – Pantanal (MS) – Boitatá

Pantanal, Mato Grosso do Sul
Pantanal, Mato Grosso do Sul

Uma das lendas folclóricas que deixa a população das redondezas do Pantanal (MS) de queixo caído é a história do boitatá. Existem variantes do mito que apresentam o Boitatá (cobra com calda de fogo) como uma entidade que defende os campos contra aqueles que os queimam para prepará-los para o plantio. Contudo, tudo o que sabemos são histórias (de pescador ou não, rs).

Uma das atrações da região que podem deixar a lenda mais emocionante são as caminhadas, cavalgadas, focagem noturna, manejo de gado, observação de animais e pássaros, passeio de barco e de charrete, canoagem, pesca recreativa, pesca esportiva e safári fotográfico.

Por que ir?

Viajar de ônibus e conhecer as diferentes paisagens da região pantaneira, como as cidades de Corumbá e Aquidauana é inesquecível. O bioma Pantanal é um ecossistema com 250 mil quilômetros de extensão que fica distribuído entre o sul de Mato Grosso, noroeste de Mato Grosso do Sul, norte do Paraguai, e o leste da Bolívia, estando, portanto, no centro da América do Sul, na bacia hidrográfica do Alto Paraguai. A região é uma planície pluvial onde se desenvolvem fauna e flora de rara beleza e abundância, influenciada por quatro grandes biomas: Amazônia, Cerrado, Chaco e Mata Atlântica.

3 – Rio São Francisco (MG) – Caboclo D’Água

Moradores da zona da mata mineira ficaram assustados com relatos de que uma criatura peluda, de unhas e olhos grandes que saía do fundo do rio para comer animais que ficavam soltos em pastos perto das margens. Para algumas pessoas, o caboclo d’água é visto como defensor do Rio São Francisco (MG).

Serra da Canastra

serra da canastra, mg, guiche virtual
Parque Nacional da Serra da Canastra, em Minas Gerais

Até agora ninguém capturou o caboclo d’água, mas o Velho Chico tem lugares incriveis em Minas Gerais, como o Parque Nacional da Serra da Canastra.

Além de ser repleto de paisagens de mata e cerrado de tirar o fôlego, abriga a nascente do rio São Francisco. Depois de correr por alguns quilômetros, o rio sofre uma queda de quase 200 metros, formando a cachoeira Casca d’Anta, um dos cenários mais bonitos do parque. A região da Serra da Canastra é um ótimo destino de turismo ecológico.

4 – Recife (PE) – Frevo

paço do frevo, guiche virtual
Paço do Frevo, em Recife (PE)

Apesar de não representar uma figura lendária, o frevo é uma dança folclórica, que é mais popular durante o carnaval, em blocos animados em Recife, capital de Pernambuco. A dança popularizou-se antigamente em conflitos entre blocos de frevo, em que capoeiristas saíam à frente dos seus blocos para intimidar blocos rivais e proteger seu estandarte.

Uma das dicas para quem vai viajar de ônibus à capital pernambucana é visitar o Paço do Frevo, instalado no Bairro do Recife. É um espaço dedicado à difusão, pesquisa, lazer e formação nas áreas da dança e música do frevo, visando propagar sua prática para as futuras gerações. Venha mergulhar em um vasto universo de personalidades, histórias, memórias e experimentar o carnaval pernambucano durante o ano todo. Informações: www.pacodofrevo.org.br

5 – Cavalgada em Rio Grande da Serra (RS)

serra gaucha, cavalgadas, guiche virtual
As belas paisagens são as atrações da cavalgada gaúcha

Além de ser considerado folclore, a cavalgada na chamada região de Rio Grande da Serra (RS) é mais que isso, é tradição gaúcha. Um dos trajetos mais procurados para fazer a cavalgada é na conhecida “Travessia Aparados da Serra”, na Serra Geral, no estado do Rio Grande do Sul.

Todo o percurso, claro, é feito com cavalos, saindo sempre pela manhã, cavalgando durante 4 e 5 horas, em média. O ponto de partida é o Pico do Monte Negro (RS), passando pelas florestas de araucárias centenárias, do município de Cambará do Sul, até chegar a cidade de Porto Alegre. Ao todo, são sete dias de passeio. As paisagens desses lugares são cheias de gigantescos cânions esculpidos por rios da antiga era. O clima da região é temperado e sempre úmido.

Já foi para algum desses lugares folclóricos? Nos envie a sua história para [email protected] e compartilhe com o Brasil sua viagem! 🙂

Comprar passagem de ônibus