Atendimento - Seg. a Sáb. 9h às 21h (11) 2626-9632

Goiânia

Goiânia

A capital de Goiás, projetada e construída nos anos 1930, é eclética, urbana e hipermoderna. Some-se a isso a gastronomia brasileira de primeira, os parques, os museus e as galerias de arte, e você entenderá por que Goiânia é considerada uma referência nacional em infraestrutura, segundo estudo feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Ficou com vontade de embarcar já? Então veja as principais dicas de lugares para conhecer em sua passagem por Goiânia, arrume as malas e boa viagem!

Estádio Serra Dourada

Com 40 anos recém-completados, o Estádio Serra Dourada é o palco principal do futebol goiano, recebendo times como Goiânia, Goiás, Atlético-GO e Vila Nova. Projetado em 1973 pelo arquiteto Paulo Mendes Rocha, a construção só foi terminada dois anos depois. Localizado na entrada da cidade, o estádio já recebeu importantes jogos, como duelos pela Taça Libertadores, final da Copa Sul Americana e Copa do Brasil. Vale a pena fazer a visita guiada para ter acesso aos vestiários, área de aquecimento, banco de reservas e arquibancadas, disponível de segunda a sexta das 8h às 11h e das 14h às 17h.

Villa Marista

Localizada no bairro Marista, o mais nobre da cidade, a boate Villa Marista é uma das mais disputadas nas noites de Goiânia. Se você é eclético, aproveite para conhecer os dois ambientes da casa, que alternam entre funk, sertanejo e house. Além de aconchegante, o local ainda serve petiscos típicos da região e grande variedade de bebidas. O Villa Marista ainda conta com shows e apresentações em sistema open bar.

Praça Cívica

Com ares Barroco e Art Decó, a Praça Cívica foi a primeira praça de Goiânia, construída em 1937. Considerada o marco zero da cidade, a praça está localizada próxima à sede do governo estadual, conhecido como Palácio das Esmeraldas, e do Museu Goiano Zoroastro Artiaga, que conta com obras feitas em palha, argila e madeira, exposições temporárias e exibições de paleontologia. A partir desse mês, a Praça Cívica passará por obras que visam reaver as características da época de sua inauguração.

Pamonha da Vovó (Rua 83, S/N — Sul)

É no fundo da Praça Cívica que está instalado o restaurante símbolo da culinária goiana. Sob o olhar atento da dona Maria Nailce, de 59 anos, são feitas pamonhas caseiras e salgadas. O toque curioso fica por conta dos ingredientes usados no recheio, como linguiça, pimenta, guariroba e queijo. É só escolher o sabor predileto, pegar a pamonha mantida em bolsa térmica e escolher uma das mesas disponíveis para saborear o típico prato da região.

Bosque dos Buritis

Localizado entre as ruas 1 e 29, no centro, o Bosque dos Buritis é o cartão-postal da cidade e foi o primeiro parque planejado de Goiânia, em 1938. Pela extensão do bosque estão espalhados três lagos, pistas para caminhada, aparelhos de ginástica e um orquidário. O espaço também abriga o Museu de Artes e o monumento à liberdade, criado pelo artista Siron Franco. Ótima pedida para relaxar ao som dos pássaros e aprender mais sobre artes.